sábado, 22 de janeiro de 2011

Correr na alvorada tem outro encanto


Acordar quando tudo é calma e sossego
Tomar um pequeno-almoço frugal
Calçar as sapatilhas e vestir o corta-vento
Sair de casa para o fresco da manhã
Seguir pelo caminho deserto
em direcção ao horizonte infinito
Um pé adiante do outro pé
A Terra é vazia, o rio é tranquilo






O céu enfeita-se com as cores da madrugada
 






O Sol nasce

É tempo de voltar

2 comentários:

  1. Tarde de Primavera
    As flores abrem
    Árvores cheias de folhas verdinhas
    O Sol brilha
    Ao longe uma casinha e árvores
    Rosas bonitas
    Raminhos
    Tarde quentinha

    (do mesmo poeta aos 7 anos em 1 de Fevereiro de 1975)

    ResponderEliminar
  2. É, o estilo não mudou muito desde então... :-)

    ResponderEliminar