domingo, 10 de julho de 2011

6º Ultra Trail da Serra da Freita 2011



Após a minha estreia em 2010, fiquei agarrado a esta prova única, dura e belíssima, que testa os limites físicos e mentais do ser humano. Claro que não podia faltar à edição deste ano, que foi a sexta, segunda neste formato de 70 km.
A Serra da Freita é uma região de beleza ímpar e participar neste local numa prova de Ultra Trail é um privilégio raro. Aqui está-se submerso nos elementos e vive-se a luta da carne frágil contra a rocha dura.




Para além da luta individual contra os elementos, para mim esta edição teve a sua principal tónica no elemento humano. 
Se o meio da corrida de estrada não se pode considerar propriamente muito vasto, então o meio do Trail é mesmo bastante reduzido e ao fim de algumas provas já se começa a conhecer razoavelmente bem os seus regulares participantes.


Já se sabe que a luta contra adversidades partilhadas forja amizades fortes, e embora a corrida seja uma actividade individual, o certo é que correr a par durante muitos quilómetros e em condições particularmente difíceis, cria uma espécie de consciência partilhada que permite resistir melhor às dificuldades.

Gostaria portanto de resumir o fundamental desta crónica a nomear as pessoas que estiveram comigo na Freita:
Os companheiros do Run 4 Fun, que tanto ânimo me têm dado ao longo deste percurso desportivo, o João Ralha, o Jorge Esteves, o José Carlos Melo, a Luísa Ralha, o Paulo Jorge Rodrigues, o Teodoro Trindade e ainda todos os outros que não estiveram presentes nesta corrida. Os companheiros da Ultra, o Arlindo Deus, o Eduardo Ferreira, o Gonçalo Cardoso, o Luís Freitas, o Paulo Jorge Rodrigues, o Pedro Prates e todos os outros com quem me encontro em treinos ou em diversas provas por este país fora.

Mais uma vez, vale a pena!