quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Treino após Natal em Lisboa

  

42 km, quase por acaso. Uma bonita volta a Lisboa, num dia esplendoroso, para queimar os excessos da quadra e sobretudo simplesmente pelo prazer de correr.

Nesta actividade de eleição, o que verdadeiramente me dá prazer, mais ainda do que participar em provas e competir, é a liberdade de me perder nos meus pensamentos, fundir a mente, o corpo e o universo, enquanto as pernas vão seguindo no seu ritmo, o coração vai bombeando o sangue nas artérias e os pulmões se vão insuflando com o mundo ao seu redor. É seguir sem rumo certo, na direção onde os olhos pousam. E depois voltar, à descoberta, por novos caminhos. 

Para mim estar vivo é isto.

2 comentários:

  1. Para mim é a mesma coisa, juntava-lhe uns treinos com bons conversadores em que, depois de chegarmos ao fim, ainda ficamos meia hora a acabar a conversa...

    Abraço

    ResponderEliminar