domingo, 11 de agosto de 2019

Portugueses com 50 ou mais Maratonas e Ultras







“Se queres vencer o mundo inteiro, vence-te a ti mesmo.”

― Dostoiévski





Nota: toda a informação acerca deste tema, pode ser encontrada no mui útil web site de João Lima:

http://www.joaolima.net/50Maratonas.htm

http://www.joaolima.net/50Maratonas.pdf











A fim de mais facilmente vizualizar a informação contida na tabela anterior, de seguida apresento alguns gráficos e tabelas ilustrativas:









Número de Maratonas e Ultras:





Existem nitidamente 2 outliers:










Terei que desdobrar os gráficos em dois, para caberem os 69 atletas.

Nos 2 próximos gráficos removi os outliers para que os gráficos sejam mais percetíveis:









Quanto à prova mais longa, também existem 2 nítidos outliers:










Mesmo gráfico sem os 2 outliers:








Melhor tempo na Maratona:
mais uma vez 2 outliers.













Data de nascimento:







Ano da 1ª maratona:








Agora alguns gráficos com correlações interessantes entre duas variáveis (regressão linear). Não incluí nesta análise os coeficientes de correlação e de determinação, nem a significância estatística, mas o intuito também não é fazer uma análise rigorosa.



O primeiro gráfico mostra uma correlação óbvia: entre a idade do atleta e o ano da sua primeira maratona:






O próximo mostra aquela correlação que é sempre muito polémica entre o desempenho e a "antiguidade" do atleta. Ou seja, a perceção de que antigamente existiam menos desportistas mas eram mais velozes (nota: mantenho a ressalva que seria necessário avaliar o coeficiente de correlação, a representatividade da amostra, e a significância destes dados para se poder tirar alguma conclusão estatisticamente válida)





Se usarmos como proxy o ano da primeira maratona em lugar da data de nascimento, o efeito é mais notório:




Se, em lugar de uma regressão linear, fizer uma regressão polinomial de grau 2, a tendência não se altera:




No entanto se fizer uma regressão polinomial entre a data de nascimento (idade) e o melhor tempo na maratona, a curva fica diferente: vê-se que os tempo dos atletas mais velhos tem uma forte influência na curva.





Se usarmos uma regressão polinomial de grau 3, o efeito é evidente:




Se removermos os tempos dos 6 atletas mais velhos, a regressão polinomial de grau 2 é praticamente uma recta, quase horizontal:







O seguinte gráfico mostra algo que parece ser auto-evidente: quem começou mais cedo, já completou mais maratonas:








No entanto, já quanto às ultras, a correlação é a oposta: parece que a malta nova quer sobretudo fazer ultras.








Uma correlação que é nula é entre o número de maratona completadas e o melhor tempo na maratona:









Uma nota pessoal:

Destes 69 bravos, 3 são RUN 4 FUN.








P.S.

Há fulanos que têm mesmo o fetiche dos números...
;)












4 comentários:

  1. Trabalho muito interessante e completo. Parabéns! :)

    Um abraço

    ResponderEliminar
  2. Obrigado Luis.
    A representação gráfica é muito elucidativa.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  3. Parabéns Luís, pela análise e descrição e por fazeres parte do grupo dos Cinquentenários. Abraço

    ResponderEliminar
  4. O trabalho de pesquisa e recolha do João Lima sobre este tema das ultras e maratonas é excelente.

    E esta tua análise pormenorizada destapa algumas informações que estavam escondidas.

    Dei uma vista de olhos no mapa da correlação entre ano de nascimento e primeira maratona e e no da data de nascimento e tempo da maratona.

    Apesar de este ser um grupo/amostra muito restrito de pessoas/atletas que de certa forma são "especiais" se pensarmos que no universo dos atletas todos, acho que se consegue tirar algumas meias conclusões interessantes.

    Desde logo vi que as primeiras maratonas, apesar da idade, se concentram ali entre o ano 200 e 2010 e não antes.

    Também se nota a tendência do tempo na primeira maratona aumentar ligeiramente. E se dividirmos o quadro na vertical ali pelo pela linha 11/06/2019 e na horizontal pela tua linha... vê-se uma distribuição homogênea nos quatro quadrantes.

    A tendência de subida é muito ténue. A olho nú diria que nem se justificaria se os últimos 3 ou 4 atletas mais novos tivessem melhores prestações.

    Podia ter relacionado tudo isso com o número total de ultras e maratonas também.

    Excelente... Parabéns a todos os atletas da lista e em especial os RUN 4 FUN.

    Runabraço

    ResponderEliminar