segunda-feira, 30 de dezembro de 2019

Tor des Géants Endurance Trail - TDG 2020 - S01E06





Homens que são como lugares mal situados
Homens que são como casas saqueadas
Que são como sítios fora dos mapas
Como pedras fora do chão
Como crianças órfãs
Homens agitados sem bússola onde repousem

Homens que são como fronteiras invadidas
Que são como caminhos barricados
Homens que querem passar pelos atalhos sufocados
Homens sulfatados
Por todos os destinos
Desempregados das suas vidas

Homens que são como a negação das estratégias
Que são como os esconderijos dos contrabandistas
Homens encarcerados abrindo-se com facas

Homens que são como danos irreparáveis
Homens que são sobreviventes vivos
Homens que são sítios desviados
Do lugar
....
Homens que são como projectos de casas
Em suas varandas inclinadas para o mundo
Homens nas varandas voltadas para a velhice
Muito danificados pelas intempéries
Homens cheios de vasilhas esperando a chuva
Parados à espera
De um companheiro possível para o diálogo interior

Homens muito voltados para um modo de ver
Um olhar fixo como quem vem caminhando ao encontro
De si mesmo
Homens tão impreparados tão desprevenidos
Para se receber

Homens à chuva com as mãos nos olhos
Imaginando relâmpagos
Homens abrindo lume
Para enxugar o rosto para fechar os olhos
Tão impreparados tão desprevenidos
Tão confusos à espera de um sistema solar
Onde seja possível uma sombra maior
...
Não levantemos os homens que se sentam à saída
Porque se movem em seus carreiros interiores
Equilibram com dificuldade uma ideia
Qualquer coisa muito nítida, semelhante
A uma folha vazia
E põem ninhos nas árvores para se libertarem
Da gaiola terrível, invisível muitas vezes
De tão dura
Não nos aproximemos dos homens que põem as mãos nas grades
Que encostam a cabeça aos ferros
Sem outras mãos onde agarrar as mãos
Sem outra cabeça onde encostar o coração
Não lhes toquemos senão com os materiais secretos
Do amor.
Não lhes peçamos para entrar
Porque a sua força é para fora e a sua espera
É a fé inabalável no mistério que inclina
Os homens por dentro
Não os levantemos
Nem nos sentemos ao lado deles.
Sentemo-nos
No lado oposto, onde eles podem vir para erguer-nos
A qualquer instante

Daniel Faria, “HOMENS QUE SÃO COMO LUGARES MAL SITUADOS”, 1998





6º Mesociclo

(49ª, 50ª, 51ª e 52ª semanas de 2019 - 03/12 a 29/12)




É hora de fazer o balanço de uma década de corrida:






Voltei a ter um ano forte, após o hiato ocorrido entre Julho de 2017 e Julho de 2018, em que praticamente não corri.

É verdade que estou mais lento, mas também estou mais velho.

O mais significativo é que cada vez coloco mais desnível nos treinos, que é o que necessito para os grandes objetivos do ano.






Os meus primeiros 6 meses de preparação para o TOR foram assim:







Já tenho alguma experiência em provas com 3 digitos:






Conto com essa experiência para levar a bom termo a enorme aventura de 330K e 24.000mD+ que é o TOR.




A minha medida de treino, desde que comecei a treinar regularmente, em 2009, combina a distância com a altimetria da seguinte forma:

km-effort = distância (km) + 10 x desnível (km).

Essa escolha está explicada aqui:

ITRA Performance Index - Tudo o que nunca quis saber nem teve vontade de perguntar

Retomei os treinos em Agosto de 2018, após um hiato com 12 mesociclos muito fracos (abaixo dos 200 km-effort por semana). Para mim um bom mesociclo é um que tenha mais de 400 km-effort.




Este ano o treino tem estado de acordo com as minhas expectativas (é normal no Outono baixar o volume, para descansar o corpo e a mente), embora este Outono tenha sido bem mais fraco do que deveria.






Entretanto fui fazendo provas para cumprir calendário:

A 07/12 estive nos 63K do EPIC Azores Trail Run. Pode-se ver aqui a reportagem:










Sem comentários:

Publicar um comentário