Nick Cave

Views

 

© Luis Matos Ferreira


 

 

(I’ll Love You) Till the End of the World

It was a miracle I even got out of longwood aliveThis town full of men with big mouths and no guts

I mean, if you can just picture it:The whole third floor of the hotel gutted by the blastAnd the street below showered in shards of broken glass

 

(I’ll Love You) Till the End of the World

It was a miracle I even got out of longwood aliveThis town full of men with big mouths and no guts
I mean, if you can just picture it:The whole third floor of the hotel gutted by the blastAnd the street below showered in shards of broken glassAnd all the drunks pouring out of the dance hallsStaring up at the smoke and the flamesAnd the blind pencil seller waving his stickShouting for his dog that lay dead on the side of the road
and me, if you can believe thisAt the wheel of the carClosing my eyes and actually prayingNot to God above, but to you, saying:
"Help me, girlHelp me, girlI'll love you till the end of the worldWith your eyes black as coalAnd your long dark curls, "
Some things we planWe sit and we inventAnd we plot and cook upOthers are works of inspiration, of poetryAnd it was this genius handThat pushed me up the hotel stairsTo say my last goodbyeTo her hair as white as snow and of pale blue eyesSaying, "I gotta go, I gotta goThe bomb and the bread basketAre ready to blow, "
In this town of men with big mouths and no gutsThe pencil seller's dog, spooked by the explosionLeaping under my wheelsAs I careened out of longwoodOn my way to youWaiting in your dressIn your dress of blue
I said, "Thank you, girlThank you, girlI'll love you till the end of the worldWith your eyes black as coalAnd your long, dark curls, "
And with the horses prancing through the fieldsWith my knife in my jeans and the rain on the shieldI sang a song for the glory of the beauty of youWaiting for meIn your dress of blue
"Thank you, girlThank you, girlI'll love you till the end of the worldWith your eyes black as coalAnd your long, dark curls, "

 Nick

 

 

«Se há músicos que dispensam apresentações, o australiano Nick Cave é certamente um deles. Acompanhado dos Bad Seeds, é responsável por algumas das actuações ao vivo mais memoráveis que já vimos em Portugal. Quem já viu, sabe que não pode perder o concerto no MEO KALORAMA. Quem nunca viu, que vá preparado. 

Criados depois do fim dos The Birthday Party, em 1982, até à data a banda editou 17 álbuns, desde "From Her to Eternity" em 1984, até ao mais recente "Ghosteen", considerado um dos melhores discos de sempre da banda.

Uma das bandas mais aclamadas pela crítica, Nick Cave & The Bad Seeds já venderam mais de 5 milhões de álbuns no mundo inteiro.»

https://meokalorama.pt/pt/artistas/nick-cave-the-bad-seeds

 

 

Nick Cave

Músico australiano, Nicholas Edward Cave nasceu a 22 de setembro de 1957, em Warracknabeal, na Austrália. No liceu, formou a banda The Boys Next Door, com Mick Harvey, Tracy Pew, Phillip Calvert e Rowland S. Howard. Após algumas gravações sem grande sucesso, mudam o nome da banda para The Birthday Party e viajam para Londres. Tiveram um impacto enorme na cena rock britânica, com um som que continha emoções "duras", agudeza de espírito e a essencial obscuridade.
Os elementos da banda mudam-se para Berlim, onde acabam por se separar em 1983. Aqui, surgem os Nick Cave & The Bad Seeds, aproveitando alguns elementos da banda anterior e adicionando Blixa Bargeld.
A par da edição dos primeiros álbuns da banda, Nick Cave edita o seu primeiro livro - And the ass saw the angel (1989) - e colabora com Wim Wenders, criando o fundo musical para alguns dos seus filmes.
Este foi um período com temas fortes que refletiam a sua poesia, a sua raiva e angústia, mas referindo sempre a beleza da alma e ao mesmo tempo com enormes referências bíblicas.
Em 1996 chega Murder Ballads, um álbum que lida com o tema da morte e que marca uma viragem na sua carreira, adotando um tom mais melódico, pondo de lado a raiva e a angústia. A música é mais melódica, harmoniosa e calma que a dos álbuns antecedentes, contudo, Cave nunca comprometeu o seu talento musical.
Mas Nick Cave não procura o reconhecimento público. Em 1996, quando foi nomeado para um "MTV Award", pediu para que retirassem o seu nome, pois não se considerava um cavalo de corrida, pois "sentia que era o seu dever proteger a sua musa das influências que possam danificar a sua frágil estrutura" (em carta à MTV). Cave permanece uma figura de culto na cena da música alternativa. A beleza da sua voz e composições tornaram-se referência obrigatória.

https://www.infopedia.pt/apoio/artigos/$nick-cave

 

 

A primeira vez que tomei contacto com a música de Nick Cave foi através do filme "As asas do desejo" de 1987, realizado por Wim Wenders.

Até essa história tem a sua graça. Foi no meu primeiro ano do Instituto Superior Técnico, em 1987, quando eu ia mais à piscina e ao cinema do que às aulas. Fui sozinho ao cinema Quarteto, que passava esse tipo de filmes. Cheguei à bilheteira e pedi um bilhete. Só que comecei  contar as moedas e não tinha dinheiro suficiente. A senhora disse-me o seguinte: "tenho um filho da sua idade." E aí tirou um daqueles cartões que se carimbavam por cada ida ao cinema, e carimbou o cartão todo. Deu-me o cartão e disse: "agora dê cá novamente o cartão". E pronto, deu-me um bilhete para ir ver o filme. Um dos meus filmes favoritos até hoje.

O Nick Cave surge nesta cena inesquecível:

 

 

 

Logo no ano seguinte, 1988, fui vê-lo ao vivo, no então Pavilhão Carlos Lopes, no Parque Eduardo Sétimo, em Lisboa.

 


 


Foi um concerto inesquecível. Logo aí tomei contacto com o magnetismo irresistível do Nick. O homem tem uma presença em palco inultrapassável.

Por variadas razões não o voltei a ver ao vivo. As mais recentes devido à pandemia do Covid-19.

Mas fui colecionando todos os álbuns que ele editava e ainda mais algumas compilações e raridades:

 


 

 



 

Finalmente este ano surgiu a possibilidade de o voltar a ver ao vivo, após 34 anos. Não hesitei e comprei imediatamente o bilhete para o festival.

 


 


 

 




 

 




Comentários



Posted by:
has written 0 awesome articles for dorsal1967.

Mensagens populares deste blogue

ITRA Performance Index - Tudo o que nunca quis saber nem teve vontade de perguntar

UTAX - Ultra Trail Aldeias do Xisto - 2014

De Vela até aos Açores

5º AXTrail series 2012

Provas Insanas - Westfield Sydney to Melbourne Ultramarathon 1983

Le Grand Raid des Pyrénées

MIUT - Madeira Island Ultra Trail

Ultra Trail Atlas Toubkal - UTAT 2016 - A prova

GR13 - Via Algarviana

VCUF - Volta Cerdanya UltraFons - 214 km - 10.000m D+