sexta-feira, 16 de novembro de 2018

Andorra Ultra Trail VallNord - Ronda dels Cims 2019 - S02E01












“Courage is the first of human qualities because it is the quality that guarantees all the others.”
– Winston Churchill

(and a bit of madness I would add... / temperada com um pouco de loucura, acrescentaria eu...)


"Conformar-se é submeter-se e vencer é conformar-se, ser vencido. Por isso toda a vitória é uma grosseria. Os vencedores perdem sempre todas as qualidades de desalento com o presente que os levaram à luta que lhes deu a vitória. Ficam satisfeitos, e satisfeito só pode estar aquele que se conforma, que não tem a mentalidade do vencedor. Vence só quem nunca consegue."
Bernardo Soares











Esta aventura teve início em 6 de dezembro de 2016, quando me inscrevi pela primeira vez na mítica Andorra Ultra Trail VallNord - Ronda dels Cims (170 km / 13.500 m D+).

A prova está apresentada com detalhe no meu post de 6/12/2016, neste link:

Andorra Ultra Trail VallNord - Ronda dels Cims 2017 - S01E01 - Apresentação 

Infeliz, ou felizmente, consoante a perspetiva, o ano de 2017 revelou-se como tendo provavelmente sido o meu "Annus Horribilis".

 A minha atitude perante a vida segue a máxima do filósofo marxista italiano António Gramsci:

"Pessimismo da razão, otimismo da vontade"

Portanto, embora eu acredite que o universo é permeado pelo acaso, acredito também que contém em si, indiscutivelmente, uma componente muito forte de necessidade.

A minha formação em física fundamental teórica legou-me uma crença inabalável, platónica quase, numa ordem matemática oculta, que se traduz em regras de organização.

(a menos que existam infinitos universos, e nesse caso "anything goes")

Se numa ronda de poker nos calhar uma mão fraquinha, o que temos a fazer é o melhor que pudermos, se necessário recorrendo a bluff.

As pessoas verdadeiramente inteligentes são aquelas que se conseguem adaptar à mudança.

Demora o tempo que for necessário, mas por fim temos que dar a volta.



O que é certo é que em 2017 a minha vontade de treinar decaiu muito, o que se refletiu no meu primeiro DNF em 46 provas de Trail (5 na mítica distância de 100 milhas) e 70 provas de estrada, sem nunca claudicar desde 2009.

E tinha logo que ser numa das minha provas favoritas:

Estrela Grande Trail 2017 ou a Crónica de um DNF


Mas apesar desse revês, continuei firme na minha intenção de alinhar na linha de partida dos 170 km:

Andorra Ultra Trail VallNord - Ronda dels Cims 2017 - S01E02




Em julho de 2017 fui para Andorra sem grandes expetativas. Apesar de tudo correu-me melhor do que estava à espera, tendo abandonado a meio, em Coma Bella, no km 86:

Andorra Ultra Trail VallNord - Ronda dels Cims 2017 - S01E03





Ontem, dia 15 de novembro de 2018, levado por um impulso irresistível, e após o incentivo de alguns amigos, decidi-me inscrever-me novamente nessa insana aventura.

Ainda tinha colocado o seguinte post prudente no Facebook:

"Estou muitíssimo tentado, mas a razão diz-me que primeiro tenho que voltar a fazer o percurso ascensional das pedras. Há demasiado tempo que não treino em montanha. Mas sim, tenho umas contas a ajustar com esta senhora, já que em 2017 reduziu-me à minha insignificância, quebrando-me a meio, em Coma Bella, no km 86. No problemo, eu sou um gajo paciente..."

Parece que a paciência se esgotou depressa...

"... já tinha preenchido o formulário umas quatro vezes desde que abriram as inscrições... o meu hemisfério emocional-irracional é mais forte do que o hemisfério racional..."


Agora, tenho 8 meses para me preparar para este enorme desafio. É um parto um pouco prematuro, mas espero que o nascituro esteja à altura do desafio.

Às vezes os prematuros formam-se rijos e lutadores. Depressa aprendem que para sobreviver têm que dar o melhor de si.


Diz-se que não se deve voltar aos locais onde se foi feliz (pois tudo muda, tal como o proverbial rio de Heráclito de Éfeso, onde não nos podemos banhar duas vezes). Desejo que sim. Que mude.


E vejam lá se não vale a pena voltar a um paraíso destes?


A pandilha de 2017: Luís Ferreira, Paulo Osório, João Mota e Hélder Lemos















Ordino


Partida 2017, Paulo Osório e João Mota na frente à esquerda. Eu e o Hélder estamos algures na multidão









































Armando Teixeira, 2º classificado em 2014







Créditos: a maioria das fotos são ou da organização ou de Hélder Lemos.




E aqui está a descrição da prova por um grande amigo meu, companheiro na aventura que foi dirigir os destinos da associação de que deu enquadramento à modalidade, a ATRP, companheiro em inúmeros trilhos, um gigante destas aventuras e um ser humano de exceção, o João Mota:

Finisher em Andorra







Sem comentários:

Enviar um comentário